sexta-feira, 9 de março de 2012

O Armário Embaixo da Escada, G.D. 12, Naarden



"Um construtor rico e sua mulher vinham jantar e tio Válter tinha esperanças de receber um grande pedido (a companhia de tio Válter fabricava brocas).
— Acho que devemos repassar o programa mais uma vez — disse ele. — Precisamos todos estar em posição às oito horas. Petúnia, você vai estar...?
— Na sala de visitas — disse tia Petúnia sem pestanejar — esperando para dar as boas vindas como manda a etiqueta.
— Ótimo, ótimo. E o Duda?
— Vou esperar para abrir a porta. — Duda deu um sorriso desagradável e hipócrita. — "Posso guardar os seus casacos, Sr. e Sra. Mason?”
— Eles vão adorá-lo! — exclamou tia Petúnia arrebatada.
— Excelente Duda — disse tio Válter. Em seguida dirigiu-se zangado a Harry. — E você?
— Vou ficar no meu quarto, sem fazer barulho, fingindo que não estou em casa — disse Harry monotonamente.
— Exatamente — disse tio Válter, sarcástico."
ROWLING, J.K., "Harry Potter e a Câmara Secreta" cap. 1 .

Não raramente, eu me sinto exatamente como o Harry Potter na casa dos Dursley, sofrendo bully do primo, sendo menosprezado, isolado e tendo que fingir que não existe pra não perturbar os tios malvados.

Já era de se imaginar que como Au Pair eu ia acabar mesmo virando empregada doméstica, e eu estava bem ciente disso quando decidi vir pra cá, então não posso, não vou e nem quero reclamar disso. Mas até aí, o programa promete todo um "intercâmbio cultural", no qual vc é integrado no dia a dia e hábitos da família, tornando-se "parte da família" e sendo tratado como tal. Bullshit.

São mais do que frequentes as situações inesperadas, como quando a host mom vai dar um jantar para os colegas de trabalho em casa, e me coloca pra cortar batatas na cozinha enquanto ela e os filhos fazem sala pra um bando de homens "enternados", e é aí que eu me sinto como o Harry na mão dos Dursley. Eu cortando batatas enquanto as pessoas passam por mim sem me notar, sem me dar oi, e quando termino o que tenho que fazer sou mandada pro meu quarto "...sem fazer barulho, fingindo que não estou em casa" (claro que ninguém nunca me diz isso claramente, mas é sempre o que eles esperam que eu faça).

Daqui a pouco só falta me mandarem dormir no armário embaixo da escada, oh well... quem sabe pelo menos um dia eu não recebo uma coruja com uma carta me convidando a ir pra Hogwarts?

Até lá vou levando minha vidinha de au pair...



6 comentários:

Luana disse...

Que dureza isso! Desagradável mesmo...
O seu caso tem data para terminar e aquelas pessoas que vivem assim sempre?

Ta, sem essa vibe de "voce sofre, mas outros sofrem mais", mas nao pude deixar de pensar nisso.. risos...

Forca ai, guria!

Patrícia Faria disse...

Força na peruca Nath!
Foca nos fins de semana e vai levando a semana do jeito que der! =/

Saudadess!

S. W disse...

done that, been there!

Lika FRÔ disse...

Nath, sempre que quiser ou precisar cozinhar, me chama que eu fico do seu lado conversando com você, te ajudo e se quiser eu até lavo a louça... sei como é ser tratada com indiferença, maaaas calma que aqui a gente não faz isso :P

Mandy Anita disse...

Oie Nath
Nossa que situaçao desagradável, mas vindo de holandes pode se esperar tudo!
Realmente eu nao fui feliz na holanda, mas minha vida é outra aqui na Irlanda, espero q vc encontre sua felicidade tbm =)
Abs

Nadja disse...

Vixe!!! Você deveria sentar e conversar com seus Hosts que desta forma você não se sente uma parte da família como deveria ser. Que não se incomoda em fazer algumas coisas e ajudar, mas que as vezes acaba se sentindo excluida e mais para empregada doméstica.Se vc sentar e conversar sério, acho que eles podem entender sim.Ou ao menos te escutar.

E você foi via agência? Pois deveria comentar isso, sem brigar, sem reclamar, como voce escreveu mesmo... sendo sincera, dizendo como as vezes você se sente...

força moça!!!!